Ensaios

Poesia

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Segundo Os Ditos

De outros fatos existentes
Dos termos incautos para viver
Se forma Coisas e objetivos
Pré-determinados pelo um todo
Não existe escapatória de tal monstro

Obrigações, regulamentações a se seguir
metas, objetivos planos a se conseguir
Ai de nós não seguir este enquadro
Provavelmente assim serás taxado
Naquele condenação de eterno fracassado

O ar nos é tragado de N maneiras
Ar comprimido por pressões
Seja no falsa sensação de alivio familiar
Nos ditames de uma relação de amor
Ou nas considerações de um trabalho
As coisas ficam num plano inconsistente
Onde nunca seremos o suficiente

Agora estamos na era da ansiedade perdida
Cada vez mais com ideias e ideais sendo rasgados
contexto onde direitos são tirados e reduzidos
Obrigações dobradas nos deveres
O prazer antes pecado agora é contravenção