Ensaios

Poesia

quinta-feira, 23 de junho de 2011

A Dificuldade Do Fim

É absurdamente complicada, tortuosa e delicada a conformação de algo que acabou. Seja ele um jogo perdido, um amor, um relacionamento ou a vida de alguém querido por nós. Em certa medida acaba sendo cruel também, pois afinal, se torna algo que jamais iremos recuperar ver, sentir, apreciar, aproveitar os momentos com o objeto de todo o seu afeto. Determinados fins às vezes são tão incertos e sem motivos fortes ou explicações sensatas que acabam nos desnorteando por completo, acabam por nos colocarem em fragilidade total, em um desequilíbrio psicológico, físico ou (que ocorre na maioria das vezes) emocional. O Sentimento do término é uma daquelas sensações que acarreta uma desolação enorme, um estado de incapacidade tremenda e de culpa total pelo ocorrido.

A incapacidade vai tomando conta dos nossos pensamentos, ações e conclusões. Vamos pouco a pouco, nos tornando reféns desse sentimento, acarretando na perda de capacidade de reação frente ao fim fazendo com que não tenhamos forças no momento para reagir frente ao baque de uma grande perda. Assim, vamos perdendo a tranquilidade, nos tirando qualquer idéia do que fazer frente ao problema. Quando botamos a culpa em si mesmo, ai é que realmente chegamos no pior ponto possível. Tudo que você acabe fazendo, ela vai estar de acompanhando, iremos vasculhar o passado atrás desta culpa, dos erros, de todos os SE possíveis, tornando assim, o passado sendo mais importante que o presente e o futuro.

Por fim, mais difícil que todos estes sentimentos e sensações perpassadas com a perda, o mais difícil é aceitar ela. Como aceitar o fim de algo tão importante para nossas vidas, que acabou se perdendo, é uma tarefa das mais difíceis para o homem enquanto ser emocional (este que é irracional sim). Claro que não conseguiremos esquecer o que passamos, pois o que aconteceu é a nossa história, algo que tivemos e que teve bons e maus momentos, único e indescritível. Devemos trocar o rancor, a mágoa e a tristeza por saudade, maturidade e levarmos isso como uma lição para posteridade. Geralmente o fim é inevitável, mas para tudo tem um tempo de aprendizado, formação e conclusão. A velha frase “de tempo ao tempo" se encaixa como uma luva nessa situação.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

A Cada Dia

Necessito do teu cheiro, da tua voz, do teu riso, do teu olhar. Oras, mas o que eu tenho a oferecer, se não apenas meu calor, meu afeto e meu amor, o que pode eu, apenar um garoto apaixonado, diante de você e de todo o inebriante sentimento que nutro por você. Meu amor por você é como um grande monumento, foi construído aos pouco e com muito cuidado, por mensurar algo imensurável, que deve ser admirado, cuidado e reverenciado devidamente, para não ser destratado, esquecido ou podado, afinal, seria uma afronta deixar algo tão puro e majestoso ruir, quase um crime contra a humanidade.

Não posso evitar duvidar as vezes se realmente mereço o que recebo de volta te tendo do meu lado, ou até mesmo se faço por merecer. De certa forma se torna surreal as vezes o jeito como não precisamos dizer nada as vezes, só de receber teu olhar tão doce e meigo, é mais um motivo para ver que tenho algo por que viver, um motivo para sorrir, mesmo com todas as adversidades e problemas que surgem, e todos as complicações que esta pessoinha aqui tem e pode te trazer.

Surpreende-me mesmo é ver que realmente você me ama, mesmo com todos os meus torpes defeitos e desvios, como a minha grosseria ou mau-humor, pelos meus intermináveis deslizes e desculpas esfarrapadas, ou torcer para o time rival. Na verdade  o que eu quero que você saiba é que talvez você não seja desse mundo, assim como eu, dois seres que acabaram se encontrando pelo destino  mesmo, se trombarem porque estava já traçado no tempo e espaço que em algum determinado dia eu iria te achar no meio de tantos, pois afinal, somos um caso determinado pela força de um sentimento tão forte quanto o tempo irá dizer.

Depois de um longo tempo

estou postando novamente