Ensaios

Poesia

segunda-feira, 6 de junho de 2011

A Cada Dia

Necessito do teu cheiro, da tua voz, do teu riso, do teu olhar. Oras, mas o que eu tenho a oferecer, se não apenas meu calor, meu afeto e meu amor, o que pode eu, apenar um garoto apaixonado, diante de você e de todo o inebriante sentimento que nutro por você. Meu amor por você é como um grande monumento, foi construído aos pouco e com muito cuidado, por mensurar algo imensurável, que deve ser admirado, cuidado e reverenciado devidamente, para não ser destratado, esquecido ou podado, afinal, seria uma afronta deixar algo tão puro e majestoso ruir, quase um crime contra a humanidade.

Não posso evitar duvidar as vezes se realmente mereço o que recebo de volta te tendo do meu lado, ou até mesmo se faço por merecer. De certa forma se torna surreal as vezes o jeito como não precisamos dizer nada as vezes, só de receber teu olhar tão doce e meigo, é mais um motivo para ver que tenho algo por que viver, um motivo para sorrir, mesmo com todas as adversidades e problemas que surgem, e todos as complicações que esta pessoinha aqui tem e pode te trazer.

Surpreende-me mesmo é ver que realmente você me ama, mesmo com todos os meus torpes defeitos e desvios, como a minha grosseria ou mau-humor, pelos meus intermináveis deslizes e desculpas esfarrapadas, ou torcer para o time rival. Na verdade  o que eu quero que você saiba é que talvez você não seja desse mundo, assim como eu, dois seres que acabaram se encontrando pelo destino  mesmo, se trombarem porque estava já traçado no tempo e espaço que em algum determinado dia eu iria te achar no meio de tantos, pois afinal, somos um caso determinado pela força de um sentimento tão forte quanto o tempo irá dizer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário