Ensaios

Poesia

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Perdi



A ausência de estar em seus braços corrompeu meu espírito, aos poucos estou
Perdendo a sanidade.

Pela falta do teu ser, vou-me esvaindo lentamente em horas de tédio insano, profano e bucólico.  Já não é novidade a idéia de reinventar minha dor em algo mais luminoso, em uma revelação com um significado antônimo ao desprazer de ter te amado tão intensamente. Indo rumo ao nada, meu amor se torna errante, um dom Quixote solitário, sem a consciência de Sancho para confortá-lo, urrando aos ventos pela amada na loucura que nublou a visão deste cálido coração.

Por hora julgo-me e mereço a alcunha árabe de “mejnun”, outrora traduzindo a palavra para termos ocidentais como o “louco do amor”, tragado pela infelicidade do momento em que ao perder seu bem amado, perdeu junto sua alma, sabe-se la onde foi parar a essência do meu ser e de tudo o que prezava e considerava justo, correto, ético e bom.

Na conjuntura desta peça que exprime um ode ao desolador fato de não ser comtemplado com os afagos de teus lábios, do tremor de seus abraços, da reconfortante suavidade de sua voz e dos teus olhares envaidecidos que lêem meu interior mental e psicológico, me prosto diante do inevitável jogo do destino, ficando a mercê de suas vontades e vaidades, me tornei um mero fantoche dos teus hábitos corriqueiros deveras mundanos e sórdidos.

Em Suma, me perdi totalmente ao te amar.

domingo, 25 de novembro de 2012

Expectativas De Futuro



Lidar com expectativas referentes a definição de futuro, e dos rumos q a vida possa tomar, leva o ser humano a um emaranhado de questionamentos, duvidas, anseios e aflições, pois estas definições determinarão o caminho que trilharemos pelas escolhas que tomamos.
Mas estes próprios questionamentos e aflições tendem a se tornar empecilhos e entraves para tomadas de decisões, complicando ainda mais e dificultando as ações objetivas a cada passo dado rumo aos sonhos e desejos com os quais geramos tais expectativas.
Fazer com que estas aflições e duvidas não se tornem desvios de caminho, é um processo que exige de nós mesmos um alto grau de controle psicológico e emocional, acarretando num domínio e auto-controle racional das atitudes tomadas frente aos desdobramentos que as ações do presente terão no futuro.
De fato, a chave para manter o foco e não deixar que a ansiedade gerada pelas expectativas nos dominem, é controle de si mesmo, evitar ser impulsivo em certas ocasiões, mantendo a racionalidade e o tão requerido foco para o momento.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Pronomes Definidores



    De fato, não podemos nos entregar de corpo e alma a um projeto, idéia ou sonho, tanto psíquica ou emocionalmente nos dias de hoje. O ritmo do cotidiano e seus vícios costumeiros, mundanos, individualistas e egocêntricos transformaram as relações humanas em algo distante, movidos na base do interesse próprio e mesquinho.
    O verbo “nós” se torna cada vez mais raro, em detrimento do “eu”, que centraliza as idéias e predomina em qualquer relação humana atual, tendo em especial um peso enorme e nocivo aos de cunho emocional.
    Casamentos, namoros, “rolinhos”, amizades e até mesmo nossas relações familiares estão sendo corrompidos pelo excesso de individualismo grotesco e latente, deturpando as ações que tomamos frente ao semelhante, destruindo aos poucos os laços afetivos e por vezes gerando uma gama de conflitos emocionais e psicológicos
    Nunca é fácil lidar e conciliar o uso correto tanto do “nós” e do “eu”, conseguir e aprender a usá-los da melhor forma que podemos é fundamental para ter melhores relacionamentos, pois tudo acaba se tornando sofrível com os excessos, de qualquer um deles.