Ensaios

Poesia

sábado, 23 de agosto de 2014

O medo do tempo

Ficar maquinando fórmulas
Planejando o futuro
Tentando encaixar com perfeição
Aspirações de viver e de ser
Assim alicerceando um ciclo
Mas eis que ele deriva da aflição
Baseado em ansiedade e temor
O medo é a ferramenta eficaz
Que move a maquina humana
Um terror do fracasso crasso
Me prosto perante o tempo
Implacável detonador de sonhos
Mestre da condução do universo
Paixões a ter somente vivendo
Consumiram-se em chagas ao vento

Nenhum comentário:

Postar um comentário