Ensaios

Poesia

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Compulsões de maquinações

Relapsos de uma forma distante
Mas ecos de temores antigos
Voltam Do Passado constante
Um eterno retorno ao limbo

Angustias de proporções
Coisas referentes a chaga interna
Buscando refugio para maquinações
De pensamentos com obsessão incerta

De espelhos com reflexo total
Novamente vivendo com medo
Daquilo que passou afinal
A memória aterroriza a todo tempo

Outros tempos dos ventos
Coisas que por estas vias
Servem então a contento
De aprendizado e suas manias


Nenhum comentário:

Postar um comentário