Ensaios

Poesia

sábado, 17 de maio de 2014

Consumado está

É volver aos momentos de outrora
Antiga oportunidade de um viver
disputado pelos termos sem volta
Perdendo-me em si por não te ter

Vasto pensamento da profunda melancolia
Nada flui fazendo o minimo sentido
Das coisas do querer por terra jazia
Um flagelo que guardo comigo

Terra arrasada seria boa definição
Para o que resta de meu espirito perturbado
Esta lembrança de amor gerador da desolação
Rancor e dor tornam-se fato consumado

Nenhum comentário:

Postar um comentário