Ensaios

Poesia

domingo, 28 de setembro de 2014

Sentido sem

Que seja estas conclusões
São incongruências persistentes
Das questões sem resposta
Anedotas de um sentimento
Sentindo uma insignificância tamanha
Cruzando por vertente desconhecida
Rumo ao que parece no sofrido
Em fatos criados pelo desatino
Numa imaginação sem sentido
Gostaria do fundo da essência
Saber o que é real
mas a verdade verdadeira
O fundo do abismo é desconhecido


Nenhum comentário:

Postar um comentário