Ensaios

Poesia

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Acaso Ideal



Eu ainda consigo me surpreender com determinados acasos que se tornam uma bela peça do destino, surpreendendo de forma irredutível, reflexiva, com variáveis intermitentes e imprevisíveis, a partir do ponto de vista e olhar lançado sobre a ribalta da situação, acabará determinando os rumos e o final do acontecimento.
O fato é que, por mais singelo que aparentemente este acontecimento seja, revela-se ser extremamente animador em nosso ser, uma espécie de manto acalentador, cobrindo-me em uma espessa camada do mais profundo espírito de virtuosidade, trazendo a esperança e renovando as mais utópicas vontades, em que eu possa depositar os ideais, num cálice sagrado onde a bebida da fortuna jorra torrentes de sentimentos romantizados.
A lógica, por derivar da racionalidade, tenta a força, me voltar para o lado mais realista, tendendo ao pessimismo nocivo e destruidor, taxando os ideais de surreais e insanos, mas certos pontos da insanidade só geram aflição e angustia latente, desnecessárias geralmente. Portanto, a busca pelo ideal, que o acaso tenha-me proporcionado
E a relevância que a chegada inesperada de sua presença, anestesia por um todo meu viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário