Ensaios

Poesia

sábado, 8 de dezembro de 2012

Temores da Falha



Entre este tempo do ocasional e variável mundo de meu deus, sou levado a pensar sobre o que nos torna atormentados pelo inóspito, sufocante, porém justificável (enquanto humanos e seres de sentimentos complexos) medo de falhar, expondo de modo latente nossas maiores fraquezas e aflições.
Ao falharmos, acabamos por expor nossos maiores temores, defeitos, atribulações que nos tiram o norte de nossa bússola, fazendo com que empaquemos em determinado ponto, sem saber qual rumo ou caminho tomarmos para recuperar a perda acarretada pela falhas deixam mar, tanto que algumas delas são c intensas e duradouras, marcando chagas profundas no âmago do que somos e seremos.
A falha no amor, por exemplo, talvez seja a mais densa e complexa das falhas, pois ela ocorre negativamente tanto para nosso individual quanto para o objeto de nosso amor, elevando o sentimento de culpa, erros que por vezes acabam não tendo volta.
Entretanto, o medo de falhar não pode nos reprimir, rompendo e paralisando nossas atitudes e ações. A letargia causada pelo medo de falhar deve ser enfrentada, afinal não fazer absolutamente nada é a maior delas, validando a velha retórica do ditado “melhor pecar por excesso do que por omissão”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário