Ensaios

Poesia

domingo, 13 de julho de 2014

Aflição calorosa

É duvida que atormenta a imensidão de mim
Sentir desta ocasião desconfortável algo bom
Revolta tenho com o destino pregador de peça
Fazendo jogos sádicos com meu querer

Amaldiçoo os poro de meu corpo e alma
Aflição é algo recorrente no momento desafortunado
Ciente do quanto seu ser traz o olhar de um amor tranquilo
Impiedoso tempo atual que me proíbe de ter-te

Com as mãos acorrentadas a grilhões colossais
Temo deixar-te escorregar seu ser pelos dedos
Sem ao menos conseguir a minima oportunidade
Conhecido o fogo de suas madeixas e abraços

Achado poético nos tempos do Condor e suas torturas em Buenos Aires, 1977


Nenhum comentário:

Postar um comentário