Ensaios

Poesia

terça-feira, 18 de março de 2014

Vontade da enfermidade

Passam-se os dias sobretudo idealizando
Nas mentes dispersas de um acaso incisivo
Entre os pensamentos de seres confabulando
Ações com maniaca sucessão de um tipo
Bruta pedra de um sentir se está lapidando

Busca em meio a manias e obsessões
Referindo as doses de sentimentos difusos
Sejam estas venenos ou vacinas as emoções
Ardem a garganta e comprimem peitos já escuros
Já tomados por desatinadas sensações

Querer sem importar-se com o redor
Alienar-se acima da vitalidade mundana
Onde por uma vontade colossal e maior
Repousar por fim no braços de quem ama
Melhor maneira de aplacar enfermidade mór

Nenhum comentário:

Postar um comentário