Ensaios

Poesia

segunda-feira, 31 de março de 2014

Linha temporal

Cercado de indiferença neste tempo
Em meio a um oceano de água profunda
Coagido a viver atormentado por medo
Tentando me abstrair desta amargura

O passado causa melancolia e remorso
Presente já condicionado a estar perdido
Faz futuro ser incerto nas dores do destroço
Após você nada mais merece ser vivido

Lembranças cravadas a fogo na memória
Herança da retórica do negro amor
Novamente nesta repetida história
Te sentir e querer-te agora é rancor

Nenhum comentário:

Postar um comentário