Ensaios

Poesia

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Disforme

No tilintar das batidas do miocárdio
Sou envolto num imenso espasmo
No profundo ardor febril do minuto
Em cada passo seu que escuto

Na acalentadora memória
De nossa saudosa história
Não restou um misero afago
Somente um disforme gosto amargo

Nenhum comentário:

Postar um comentário