Ensaios

Poesia

domingo, 19 de janeiro de 2014

Algo que baste

Perdido sobre as próprias divagações
A mercê dos temores suspeitos
Assim tento resistir agarrada a alguma razão
Brincando de criador com erros e acertos

Entre certos sonhos desconstruídos
Corrompem espíritos pelo desespero
Terrores colossais assim vividos
O Inferno de Dante toma o momento

O nada do ser agora sem sentido
Buscas num terreno pobre de vontade
Nem mesmo a incerteza que agora sinto
Apenas quero uma emoção que me baste

Nenhum comentário:

Postar um comentário