Ensaios

Poesia

domingo, 5 de janeiro de 2014

Trama do sentir

Viver por mera formalidade
É o que se define por momento
Na sua indiferença em enorme profundidade
Padeço de pranto transformado em Oceano

Não em estranhas conexões
Pensamentos cruzados por nós
Por ideias de certas razões
Ansiedade de desespero a sós

Pudera ter controle sobre tempo e espaço
Nestes ter domínio de estabilidade absoluta
Envolveste-me numa trama do sentir amargo
Onde padeço numa torrente de amor em fúria

Nenhum comentário:

Postar um comentário